O Google está fazendo algumas alterações no Google Friend Connect, agora os seguidores necessitam ter uma Conta do Google para fazer login no Google Friend Connect para seguir os blogs.
Se você que me seguia e não tinha cadastro no Google, por favor faça o seu cadastro e volte a participar da minha lista de seguidores e saibam que senti sim muita falta de vocês! Estou lhes esperando com o maior carinho!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Amarre seu cão que tem pavor de fogos


Cães que tem pavor de fogos
Para amenizar o sofrimento do cão, existe uma técnica – muito simples – chamada Tellington Touch.Não quer dizer que o cachorro vai ficar tranquilo , apenas vai ter menos medo da situação
Esse método se baseia na informação de que animais que possuem esse tipo de pavor também têm grande sensibilidade nas regiões traseiras, patas e orelhas.

Sendo assim, consiste em atar seu cão com um pano para que a circulação sanguínea das regiões extremas do corpo seja estimulada, amenizando as tensões localizadas no dorso do animal e diminuindo sua irritabilidade. Veja:



Amarre seu cachorro de forma que a faixa englobe peito e dorso (formando um oito), finalize dando um nó na região traseira, mas certifique-se que não esteja exatamente sobre a coluna.

Por que funciona?

O ato de “amarrar” seu cachorro reverbera no sistema nervoso dele, que recebe a informação sensitiva, envia ao cérebro e o deixa mais calmo, visto que essa pequena pressão ativa seu sistema nervoso autônomo.
Conforme o corpo sente a pressão das faixas, sua psique e tronco entram em harmonia, fazendo com que o pet sinta-se mais seguro e possa enfrentar momentos que lhe causavam medo e pavor, a técnica funciona, mas não pode ser considerada como a salvação. Pois há a questão do nível da fobia que o cão possui e isso varia de acordo com cada pet .
Contudo,  os cães sentem-se mais seguros em locais pequenos e apertados, e as faixas e camisetas desenvolvidas com essa finalidade, simulam esta sensação.

A técnica ‘Tellington Touch’ foi desenvolvida por Linda Tellington-Jones, que inicialmente aplicava esse método em cavalos. No entanto, hoje o procedimento é utilizado no mundo todo para amenizar também as fobias e traumas em outros animais, como os cães.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Como saber se o seu cão está sentindo dor


"O cão pode sim demonstrar que está sentindo dor, porém de formas mais indiretas, cabendo assim, a sensibilidade da percepção de cada dono

Como saber se meu cão está sentindo dor, já que ele não pode falar?”. 
Essa dúvida circula há muito tempo entre os criadores de cães, não só do Brasil, mas de todo o mundo. Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o cão pode sim demonstrar que está sentindo dor, porém de formas mais indiretas, cabendo assim, a sensibilidade da percepção de cada tutor. Antes de começarmos a aprofundar mais o conhecimento sobre a dor, e sobre como o pet reage a isso, é importante que esteja em mente dos criadores que a dor varia do grau mais leve até o mais severo. Os animais, muitas vezes, são bem mais resistente à dor que nós, seres humanos. Com isso, quando a dor é de grau leve, eles podem muitas vezes não demonstrar nenhuma alteração. Normalmente, os cães quando demonstram que estão com dor, já é num grau que varia de moderado a grave.

As principais causas para o aparecimento de dores moderadas a grave são decorrente de fatores como: Os pós-cirúrgicos, quando muitos médicos veterinários não receitam analgésicos ou mesmo quando o tutor esquece de administrar o medicamento. Outro fator bastante comum é o atropelamento veicular. Nesse caso, normalmente, os cães sofrem várias fraturas ósseas, como também em alguns casos, rompimento de órgãos internos. O grau de dor nesse último exemplo é muito alto, necessitando de uma intervenção médica imediata. Podemos citar vários outros fatores que ocasionam dor grave, como por exemplo: queimaduras graves, amputação de membro, perfurações profundas, dor de dente e etc.

Os cães demonstram alguns sinais que estão sentindo dores, por isso o tutor deve ter bastante atenção nessas horas. Os principais sintomas são:

– Os cães tornam-se mais agressivos. Esse mecanismo de defesa é completamente normal e deve ser levado em conta na hora da avaliação. Essa reação ocorre principalmente quando o local da dor é tocado ou quando o tutor faz menção em tocá-lo;

– Na maioria dos casos, o cão pode apresentar uma postura arqueada, isto é, a coluna do animal faz uma curvatura e pode apresentar juntamente um andar lento e doloroso. Isso, na maioria das vezes, é causada por dores abdominais intensas;

– Outro sinal bastante importante é a expressão. Isso pode parecer meio sem sentido, mas os cães quando estão com dores, fazem expressões diferentes, como: Apertar os olhos, ranger dos dentes, adotar movimento lento da cabeça, entre outros;

– Anorexia é um ponto que se deve levar bastante em conta, pois os cães, quando estão sentindo fortes dores, recusam qualquer tipo de alimento. Em casos mais severos, os animais diminuem até a ingestão de água;

– Mudança de comportamento é um dos primeiros sintomas. Os cães com uma sensação dolorosa no corpo se recusam qualquer brincadeira feita pelo tutor, mesmo sendo aquela que mais gosta;

– O uivo extenso também pode ser um indicativo de dor, porém deve ser observado e comparado a outros sinais, pois os cães podem uivar mesmo sem sentir dor;

Qualquer anormalidade no comportamento do seu pet, o médico veterinário deve ser consultado. Caso, seja constatado que o animal está com um quadro de dor, é feito o diagnóstico, em seguida iniciando o tratamento adequado para cada situação."


Por: George Augusto von Schmalz Portella de Macedo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGEM EM DESTAQUE

Artesanatofofo Aulas e Dicas - INSCREVA-SE!

VISITE MEU CANAL NO YOUTUBE! TODA 5ª FEIRA , GRÁTIS UMA NOVA VIDEOAULA DE ARTESANATO Mais uma videoaula de crochê do meu canal Artesanat...

POSTAGENS POPULARES